No one has ever become poor by giving, Please Donate

Search This Blog

20.000+ Bungalows 1.000+ Appartments

Search : Homes, Penthouse, Farmhouse etc.

Laptops

Popular Posts

Pages

Site Links

About

Follow on Facebook

Featured Listings

quarta-feira, 20 de junho de 2018


O que vemos no mercado atual, é 20%, 10%, 50%, 70% de desconto. é tanto desconto que parece uma selva de %. muitas empresas tem por hábito baixar preços ou dar o famoso descontinho, mas o que poucos sabem é que isso deve ser analisado a risca e planejado.

Essas ações não significa que você vai ter lucro, o que poderá ter é faturamento, e essas duas coisas LUCRO X FATURAMENTO são  bem diferentes. podendo ocorrer do seu negócio ter até prejuízos com essas "jogadas"

Mas se eu parar de desconto como vou vender?

Ora, daí já começa o erro . Você mesmo não acredita no seu produto, não venda pelo preço venda pelo valor, ofereça ao cliente algo que o não encontre em nenhum outro lugar, pode ser atendimento, brindes, cartão fidelidade seja o que for. Desconto em ultimos casos . até porque você não vai querer pagar par trabalhar, é muito melhor melhor vender R$ 10,00 para 1 cliente que vender R$ 1,00 para 10 clientes. Tenha sempre em mente esses macetes.

O sonho de todo o vendedor, empresario etc. É conseguir ter uma qualidade de vida aceitavel, onde não seja escravo do trabalho tendo que trabalhar mais horas para ganhar aquilo que poderia ganhar em pouco tempo, e não falo de menos trabalho eu falo de menos esforço.

Tudo que geramos pra fazer leva um certo esforço, pra vender seu produto e serviço não é diferente . é errado depositar todo nosso trabalho em cima de descontos, só os donos de empresas e serviços sabe que qualquer falta de 5 centavos no faturamento pode fazer uma grande diferença. então porque eu ou você deve dar descontos? Não seja mais um carinha do que ganha cliente com metódos antigos!

Mas se eu não der desconto meu concorrente vai dar, e vai ganhar meu cliente ?
é como eu falei no inico do post, você pode vender um produto por R$ 10,00 e seu concorrente por R$ 1,00. com certeza ele vai ter mais clientes ,porém vai ter tantos que vai começar a falhar em algo, seja na entrega , atendimento etc. Então digamos que nesse periodo de vendas você vendeu apenas para um cliente e seu concorrente vendu para dez clientes, quem fez mais esforço para ganhar o mesmo valor? claro que seu concorrente. sem contar que neste unico cliente você conseguiu ser mais atencioso, fez uma venda melhor, caprichou no atendimento, entrega especial . ou sejafez menos esforço.

Conclusão

Descontos só serão bem vindos quando planejados, e que não afetará os cofres da sua empresa.ganhe dos seus concorrentes com diferenciação e fazendo menos esforço, perceberá que a diferença será enorme.

até a próxima.




Learn more
 

hoje sabemos que anunciar não é mais um diferencial, é uma obrigação. como você anuncia seus negócios? já utilizou serviço de panfletagem? este meio de divulgação mais antigo e talvez o mais economizo que ainda existe, é claro que eu falo dos meios impressos deixando de lado o virtual como anuncio no google. mas como anunciar através de panfletos?



Como fazer uma boa panfletagem

Suponhamos que você já sabe que a panfletagem é o melhor caminho para encontrar seus clientes, você manda imprimir e já vai espalhar seus panfletos por ai, sem nenhum estudo prévio do teu público-alvo, e já vai cair na ilusão que cairá milhares de clientes na sua rede de contatos.

Erro bem comum, já ouvi muita história parecida até eu mesmo no começo da minha empresa perdi muito tempo e dinheiro com divulgação errada, cerca de 90 % dos meus panfletos iam parar no lixo, os 10% nem liam o que tinha no impresso, ou seja eu errei em alguma coisa e tinha que mudar rapidamente aquele panorama, eu precisava de clientes, sem contar que eu tirava do meu bolso pra fazer campanhas mal sucedidas, era trágico!

Em meio ao desolamento de não conseguir clientes com panfletagem,eu parei e refleti onde era meu erro. e percebi que as coisas mais simples estavam dificultando o crescimento da minha empresa.

1° Erro- Não saber onde meu cliente estava, nem quem era eles.
Pra quem não sabe eu montei uma gráfica, e como todos sabem o serviço da empresa era imprimir, então eu pensei nossa eu mesmo faço meus panfletos imprimo e divulgo, vai ser fácil! ( haha iludido). Quando fiz a primeira divulgação de panfletagem eu simplesmente distribui panfletos pra todo mundo da minha cidade, sem foco nenhum. eu pensava que quanto mais pessoas vissem meu anuncio melhor, ora vou ter mais clientes. ( marinheiro de primeira viagem é assim mesmo ) foi ai que eu me @#$%. ( você sabe né)

Como eu consertei isso?
Após a primeira desilusão empresarial eu rateei meus clientes, nem todo mundo tinha interesse nos meus serviços, naquela ocasião meu público-alvo era os empresários, onde precisavam de cartão de visita, panfletos e afins. então comecei a entregar somente para este pessoal, melhorou bastante quando fiz essa ação.

2°erro : entregar panfletos para qualquer pessoa 
Mesmo acertando, onde estava meus clientes eu ainda errava, pois ainda não tinha retorno suficiente para manter o negócio.

Como eu consertei isso?
Descobri que nas empresas onde eu deixava os panfletos, os funcionários muitos deles jogavam fora, ou simplesmente ignorava. Então eu pedi para os entregadores entregar para os donos ou gerente das empresas , meu retorno foi muito melhor , consegui sbir de patamar.

3° Erro: Contratar qualquer um pra entregar
Eu na ânsia de economizar acabei por contratar primos, amigos e que no fim das contas me deram grande prejuízo, muitos eram espertos jogavam panfleto no lixo, não se trajavam para o serviço, indisposição, uma serie de fatores que reprovam qualquer pessoa para este tipo de trabalho.

O que eu fiz?
Eu simplesmente contratei pessoas que já atuava no ramo, procurei outras empresa e pedi indicações . Garanto a você que foi mil vezes mais recompensador, sem contar que o retorno financeiro foi muito melhor.

Conclusão:

è claro que tem muitos outros aspectos que faz a diferença numa boa panfletagem desde a arte bem feita , qualidade do papel até a entrega. então não seja negligente ao fazer campanhas com panfletagens , não é necessário contratar a empresa mais cara pra ter retorno, você mesmo pode fazer isso, e eu estou aqui pra te ajudar.

Espero que tenha ajudado de alguma forma, fico por aqui. até a próxima! 

Learn more
 
segunda-feira, 18 de junho de 2018

Sua Empresa tem metas?
Todo e qualquer objetivo seja profissional ou pessoal, deve existir METAS, trace o caminho, planeje, elabore mas tenha a convicção de onde quer chegar. no ramo empresarial é importante saber o destino final.


Alguns clientes enchergam as empresas como vilões em que apenas querem vender seus produtos e serviços, mas isso pode ser mudado. Empresas de sucesso precisam criar relacionamento com seus clientes do pré ao pós-venda . Empresários tente essa aproximação afastando essa péssima ideia que muitos clientes ainda tem .

Trabalhe com metas em sua empresa



 
Trabalhar com metas dentro de sua empresa é um assunto delicado. Muitas vezes os colaboradores se sentem pressionados demais, outras tantas vezes desmotivados e as metas em si deixam de exercer o seu papel de guiar o rumo da empresa.
Definir e perseguir objetivos distantes requer uma série de cuidados, tanto na preparação do ambiente corporativo, para assimilar a cultura de metas; quanto no treinamento das pessoas para que eles compreendam a importância do trabalho em cima de metas para a empresa e consequentemente todos os seus funcionários.

Os desafios de se trabalhar com metas

Definir uma meta a ser perseguida é apenas o começo do trabalho e dos obstáculos que precisam ser ultrapassados:
  • Como se manter focado ao objetivo?
  • Como não se entediar em busca das metas?
  • Como motivar sua equipe de trabalho mesmo com os objetivos tão distantes?
Semana após semana, no ambiente empresarial, você vai ouvir pessoas dizendo coisas como: “Eu começo o trabalho tão motivado, mas não consigo manter o estímulo meu por um longo período de tempo”. Perceba que o problema nasce da dificuldade da própria pessoa em lidar com metas; tanto que mesmo em situações fora do trabalho (talvez uma dieta ou estudos), o problema também se mostra presente.
Prova de Orientação - Trabalhe com metas na sua empresa
Essa é uma batalha diária com a mente. Começar, se manter focado e alcançar o objetivo. Realmente não é fácil permanecer focado por muito tempo, mas isso não é motivo de preocupação; um ambiente de trabalho favorável assim como uma boa equipe auxiliam e muito esse trabalho com metas.

Vencendo a procrastinação

O trabalho com metas necessita de orientação, acompanhamento e liderança dentro da empresa. Habilidades essenciais para a equipe combater o principal inimigo do trabalho focado em objetivos: a procrastinação dentro da empresa.
Muitos funcionários ao pensar no trabalho com metas em um projeto, acabam por se distrair e não conseguem manter o foco nas ações mais importantes. Por vezes acabam se dedicando a outras tarefas, a outros projetos e depois retornam ao trabalho. Esse processo desgastante faz o funcionário parar e começar tantas vezes que o trabalho nunca faz muito progresso de verdade.
Para que a empresa saiba lidar com a procrastinação é importante ter em mente que para interromper o ato de procrastinar é preciso manter hábitos que afastem a procrastinação. Essa lição será fundamental para que o trabalho com metas dentro de sua empresa funcione.

Crie hábitos saudáveis dentro da empresa

O que difere os atletas de alto nível dos atletas amadores? Talento, sorte, genética? Talvez um pouco de cada um, mas com certeza a grande diferença é a capacidade em lidar com o tédio do treinamento diário e fazer os mesmos exercícios repetidas vezes, até conseguir alcançar seus objetivos.
Compreender esse fundamento leva a pensar de maneira diferente sobre a implantação de metas dentro da empresa e o que fazer para se alcançar tais objetivos.
O segredo é o hábito. As pessoas realmente bem-sucedidas também passam por momentos de tédio. Eles não têm pílula mágica que os faz acordarem “super-homens” ou “mulheres maravilhas” todo santo dia. Trabalhar com metas não é fácil para ninguém, mas ao mesmo tempo, é a única forma de fazer os melhores resultados acontecerem.
Treinamento Empresarial: Foco para atingir as metas

Alcançando as metas traçadas

O fator determinante ao sucesso, a atingir as metas traçadas, é não se permitir desviar do caminho. É essa habilidade, de se manter firme, que vai separar os melhores profissionais de todos os outros.
Essa é a distância principal entre os melhores profissionais e os amadores que desistem rápido dos seus objetivos. Qualquer um pode trabalhar duro quando se sente motivado. Trabalhar com metas é a arte de saber trabalhar quando não está motivado.
Como empreendedor, colaborador, líder, todos adoram trabalhar quando os clientes estão próximos e as coisas estão funcionando da melhor maneira possível. Obter resultados é uma maneira de impulsioná-lo para a frente. Mas, trabalhar com metas envolve muito mais.

O trabalho para se chegar ao objetivo

E quando você está entediado? E quando o trabalho não é fácil? Você está disposto a trabalhar sozinho, em silêncio, sem incentivo e sem as pessoas te aplaudindo? É a capacidade de trabalhar principalmente no momento em que você realmente não quer estar envolvido com o trabalho, que faz, não alguma, mas toda a diferença.
Trabalhar com metas não é o evento, é o processo.
Todo mundo pensa traçar objetivos de maneira errada. Definir objetivos não é pensar no resultado, mas sim pensar no processo.
Veja alguns exemplos do pensamento comum (porém errado) das pessoas, focando no resultado e não no processo em diferentes áreas:
  • Saúde: “Quando eu emagrecer 15 quilos, aí eu estarei saudável”.
  • Empreendedorismo: “Se eu recebesse um aporte financeiro, então eu estaria mais preparado”.
  • Carreira: “Se eu pudesse aparecer em uma grande mídia, com certeza eu teria a credibilidade para ser um ótimo profissional”.
É assim que as pessoas pensam em sua evolução como colaborador numa empresa e como veem seu modo de trabalhar com metas. Pensar no resultado e não focar no processo é um problema.
Quando seus funcionários passam a ter essa consciência de focar no processo, no dia-a-dia da empresa; o trabalho passa a fluir melhor e os objetivos vão sendo atingidos com mais naturalidade. Implementando essa cultura em sua equipe de trabalho você conseguirá com que os objetivos da empresa sejam “abraçados” pelos colaboradores.
Da mesma forma a empresa precisa criar condições favoráveis para que o trabalho ocorra. Apresentar hábitos e processos bem definidos para que não haja procrastinação e as tarefas sejam executadas.

Cultura de metas dentro da empresa

Apesar dos muitos mitos sobre o assunto, para instaurar uma cultura de metas dentro de sua empresa é preciso comunicação, organização e oferecer treinamento para a equipe de trabalho. E do lado dos funcionários, é preciso que ocorra a compreensão sobre o assunto e a aceitação, execução dos processos estipulados.
O resultado é consequência, a forma de chegar lá é curtindo cada momento da rotina necessária.
Para que a empresa execute o seu trabalho da melhor maneira possível é preciso aprender a se apaixonar pelo processo. Construir uma identidade em torno da rotina de realização das atividades e não focar apenas no objetivo final.

por: http://alaya.com.br

Learn more
 

Se você trabalha com vendas, provavelmente já se viu em dúvida se um cliente está propenso ou não a efetuar a compra. Isso é muito comum, e não se trata apenas de algo restrito aos vendedores iniciantes: até mesmo os mais experientes podem encontrar dificuldades de identificar o quanto o cliente deseja fechar o negócio.
No entanto, existe uma forma de descobrir isso: uma técnica poderosa que vai definir se ele está próximo de aceitar uma proposta ou não. Antes disso, é preciso falar sobre a importância de criar uma conexão com o comprador, para que seja possível obter dele a resposta certeira.

Como desenvolver conexão com o comprador

O tipo de conexão com o cliente que falo aqui é focado na prática do corretor imobiliário, de onde vem minha experiência. É preciso que os vendedores de outros segmentos saibam adaptar para suas realidades.
O que eu sempre digo sobre esse tema é que o papel do corretor não é vender, e sim empoderar o cliente para ele tomar a decisão de compra. Para isso acontecer, é preciso gerar insights e estimular seu entendimento sobre o que é melhor para ele. É nesse processo que o vendedor consegue criar uma sintonia com o cliente. E para isso é necessário não rotulá-lo como difícil, buscando sempre ajudá-lo a equilibrar suas emoções, dar soluções para seus problemas e compreendendo os motivos pelos quais ele é reativo.
Ao fazer isso, é possível se conectar com o cliente: então, em vez de vê-lo como um vendedor, ele passa a te enxergar como alguém que realmente quer ajudar a resolver os problemas enfrentados, e isso faz toda a diferença para ele se tornar receptivo.

A pergunta a fazer para sanar sua dúvida

Se você desenvolveu uma boa sintonia com o cliente, conseguirá sua abertura para compreender o quanto ele está próximo de fechar o negócio. Ao recebê-lo em sua sala, basta pegar um pedaço de papel e caneta, e desenhar uma linha com os números 0 e 10 nas extremidades. Faça a seguinte pergunta: “De 0 a 10, qual a probabilidade de você fazer essa compra?”. Ao se deparar com isso, o cliente saberá informar com mais precisão sobre a maneira como ele se sente. Essa técnica funciona tanto para o mercado imobiliário quanto para outros processos de venda.
Após observar a nota que o cliente deu, basta prosseguir com a seguinte questão: “o que eu posso fazer para você sair desta nota, ir para o 10 e efetuar a compra?”. Ao fazer isso, dê a caneta para o cliente, pedindo a ele escrever o que é necessário (em vez de apenas verbalizar). Você pode argumentar que o cliente não vai querer escrever, mas o fato é que, se você estiver em sintonia com ele, isso ocorrerá. E essa resposta vai dar a clareza e a direção exata daquilo que você precisa fazer.
A partir daí o vendedor pode dar continuidade ao processo, levando o cliente para o caminho da compra. Isso é fundamental para você, vendedor, não se tornar aquele tipo antigo de profissional que empurrava as vendas. E, sim, se consolidar como o profissional com o controle da situação, que sabe analisar onde ele está e dá o apoio necessário para ele tomar sua própria decisão.

Conclusão

Cliente Indeciso: é aquele cliente que sabe o que quer, porém não definiu ainda se compra imediatamente, ou se compra na concorrência é uma confusão de neurônios .
para lidar com estes perfis :
1° Seja breve nas perguntas, para saber sua real precisão
2° Observar suas inseguranças
3° Faça a decisão da compra por ele, tenha sensibilidade para definir o momento certo.


por: https://www.ecommercebrasil.com.br

Learn more
 


Conquistar, conhecer e manter os clientes. É por meio desse relacionamento que as empresas abrem espaço para crescer, para ter melhor posicionamento no mercado e aumentar a credibilidade e rentabilidade dos negócios.
O consultor Alexandre Vianna explica que o primeiro passo para construir uma relação com o cliente é conhecê-lo melhor. “É preciso identificar esse cliente individualmente, conhecer o seu perfil, seus hábitos, suas necessidades atuais e tendências”, conta.

Resultado de imagem para cliente 
Ferramenta importante para esse processo é uma base de dados única, capaz de reunir as informações do cliente ao se relacionar com os diversos setores da empresa, e que conte com as reclamações realizadas por ele e também o seu histórico de transações.
O segundo passo é diferenciar os clientes. Essa diferença pode ser feita por valor, atual e potencial, e também pelas necessidades dos clientes. “A idéia é criar uma mensuração de valor para cada cliente e priorizar o tratamento daqueles que são estratégicos para a empresa”, diz.

Os clientes de maior valor devem ser conservados por meio de canais de atendimento exclusivos e também de programas de fidelidade. Além disso, a relação da empresa com os clientes de maior potencial deve ser desenvolvida.

O próximo passo é interagir com esse cliente, seguido da atenção à personalização dos produtos ou serviços. “Muitas empresas caem no erro de querer personalizar sem ter feito uma identificação correta do cliente”, atenta Vianna. “É preciso entender os momentos-chave da vida do cliente para oferecer o produto, a ferramenta correta. Só se faz isso conhecendo o cliente”, completa.

É também com a personalização e diferenciação que as empresas ampliam a possibilidade de oferecer ao mercado mais itens de valor agregado. Mas um alerta para as empresas é não se esquecer que essa diferenciação do produto deve ter foco no cliente. “Com os produtos cada vez mais parecidos, não é mais com eles que as empresas ganham de verdade. A cada dia, elas ganham mais ao colocar o foco no cliente”, destaca.

O relacionamento com o cliente também é importante por questões financeiras. É mais caro conquistar clientes novos do que manter os que já são clientes. “As empresas no Brasil estão mais preocupadas em conquistar clientes novos e acabam precisando de um investimento mais alto no lugar de manter aqueles que já trazem receita para a empresa”, aponta Vianna.Alguns clientes enchergam as empresas como vilões em que apenas querem vender seus produtos e serviços, mas isso pode ser mudado. Empresas de sucesso precisam criar relacionamento com seus clientes do pré ao pós-venda . Empresários tente essa aproximação afastando essa péssima ideia que muitos clientes ainda tem .


Conquistar, conhecer e manter os clientes. É por meio desse relacionamento que as empresas abrem espaço para crescer, para ter melhor posicionamento no mercado e aumentar a credibilidade e rentabilidade dos negócios.
O consultor Alexandre Vianna explica que o primeiro passo para construir uma relação com o cliente é conhecê-lo melhor. “É preciso identificar esse cliente individualmente, conhecer o seu perfil, seus hábitos, suas necessidades atuais e tendências”, conta.

Ferramenta importante para esse processo é uma base de dados única, capaz de reunir as informações do cliente ao se relacionar com os diversos setores da empresa, e que conte com as reclamações realizadas por ele e também o seu histórico de transações.

O segundo passo é diferenciar os clientes. Essa diferença pode ser feita por valor, atual e potencial, e também pelas necessidades dos clientes. “A idéia é criar uma mensuração de valor para cada cliente e priorizar o tratamento daqueles que são estratégicos para a empresa”, diz.

Os clientes de maior valor devem ser conservados por meio de canais de atendimento exclusivos e também de programas de fidelidade. Além disso, a relação da empresa com os clientes de maior potencial deve ser desenvolvida.

O próximo passo é interagir com esse cliente, seguido da atenção à personalização dos produtos ou serviços. “Muitas empresas caem no erro de querer personalizar sem ter feito uma identificação correta do cliente”, atenta Vianna. “É preciso entender os momentos-chave da vida do cliente para oferecer o produto, a ferramenta correta. Só se faz isso conhecendo o cliente”, completa.

É também com a personalização e diferenciação que as empresas ampliam a possibilidade de oferecer ao mercado mais itens de valor agregado. Mas um alerta para as empresas é não se esquecer que essa diferenciação do produto deve ter foco no cliente. “Com os produtos cada vez mais parecidos, não é mais com eles que as empresas ganham de verdade. A cada dia, elas ganham mais ao colocar o foco no cliente”, destaca.

O relacionamento com o cliente também é importante por questões financeiras. É mais caro conquistar clientes novos do que manter os que já são clientes. “As empresas no Brasil estão mais preocupadas em conquistar clientes novos e acabam precisando de um investimento mais alto no lugar de manter aqueles que já trazem receita para a empresa”, aponta Vianna.


por: https://www.administradores.com.br/

Learn more
 

Sempre que se procura analisar o índice de mortalidade das micro e pequenas empresas, várias são as causas citadas: falta de aptidão para ser empreendedor, desconhecimento do mercado, falta de orientação profissional, alto endividamento, crises econômicas, descontrole financeiro etc.

Apesar das dificuldades, um determinado aspecto deve ser destacado para a maioria dos micros e pequenos empreendedores. Geralmente, é um comportamento considerado natural, corriqueiro do negócio, passando despercebido por todos, mas que acaba sendo de uma relevância enorme na administração da empresa. É justamente o descontrole financeiro por parte dos administradores.

No primeiro instante, pode-se imaginar que esse item trata da administração financeira da empresa. Saber comprar, negociar da melhor forma possível junto aos fornecedores, marcar o preço correto, elaborar fluxos de caixa, rotinas administrativas, aplicar da maneira mais rentável as sobras de caixa, tudo que diga respeito a uma boa administração. Tais medidas, sem dúvida, devem ser implantadas na condução da empresa. Mas o que deve ser observado vai muito além. Diz respeito à administração das contas pessoais do empreendedor.

A mistura entre as contas da empresa e as contas do proprietário compromete a saúde financeira do negócio. É fundamental saber separar as contas. Determinar o que são recursos da empresa e o que são recursos próprios para gastos pessoais. Quantas vezes, ao observar as vendas da empresa, o saldo em conta corrente, os valores a receber, o proprietário é tentado a usufruir dos recursos em benefício próprio? Esquece-se, conscientemente ou não, que os valores não pertencem a ele e sim a empresa. Que o negócio possui também seus compromisso financeiros de curto e médio prazo, do mesmo modo que o seu proprietário.

O indivíduo acredita que, por ser o proprietário da empresa, pode fazer o que bem entender em relação aos recursos, sem dar satisfações a outras pessoas. É justamente neste momento que a pessoa física empreendedora se mistura com a pessoa jurídica e, é nessa tomada de decisão que pode surgir uma grande cilada.
O cuidado está em simplesmente ter a consciência dos papéis, um como proprietário da empresa, outro como uma pessoa simples, que trabalha e recebe uma remuneração. Ambos têm um objetivo em comum: um melhor padrão de vida. A empresa procurará se desenvolver e crescer. Já o seu funcionário irá “a reboque” da sua atuação. Um papel complementa o outro.

A solução para esse equívoco é mais uma boa dose de bom senso do que qualquer outra coisa. O empresário deve se policiar quando ao seu papel em relação à empresa, não ficar tentado, acreditando que tudo pode em relação aos recursos financeiros, pois no final da história, pode comprometer além da empresa, todo um projeto de vida pessoal.
Eduardo Amat Silva - Unidade de Atendimento Individual ao Empreendedor
Sebrae-MG
Informações: www.sebraemg.com.br

Learn more
 



Você motiva seus funcionários? Não?
Então você está perdendo o bem precioso de qualquer empresa, mesmo na era da otimização. o fator humano é extremamente importante. nós resolvemos passar algumas dicas para você implementar na sua empresa.
1° Desafie-os : estigue a todos a um desafio não somente a metas. e o mais importante sem tom de pressão.
2° Elogie em publico , chame a atenção em particular, é uma técnica poderosa para conquistar respeito .
3° Surpresas: quem não gosta de boas surpresas. faça as escuras uma analise dos melhores funcionários e presentei com algum brinde, fica a critério . as vezes o gestor precisa expor que presta atenção no que seu subordinado faz.

Learn more
 





Resolvi levantar algumas questões sobre atendimento.
7 pecados que mais afastam seus clientes e torna sua empresa referencia em péssimo atendimento. sabemos que este quesito pode ser um diferencial para qualquer ramo de negócio.

1 Apatia
Quem já foi atendido por alguém assim sabe que é um terror, parece que o vendedor não quer vender, responde o básico.

2 Demora
Demora para ser atendido, geralmente são os vendedores que atendem 1001 clientes por vez, então meus amigos vamos ter bom sendo e atender pouco mais atender com qualidade e agilidade.

3 Tratamento frio
Se iguala na apatia, geralmente não está se inmportando se o cliente compra ou não

4 Insensibilidade
É aquele vendedor que quer apenas empurrar o produto/serviço. Esperando ganhar apenas a comissão pouco se importa com o cliente.

5 Desrespeito
Não encontramos muitos atendentes assim, mas existe. São aqueles irônicos que por sinal não duram em cargos de atendimento e vendas.

6 Estupidez
Esse tem vários por ai, muitas vezes são pessoas despreparadas até mesmo o dono do negócio que é ótimo na parte técnica mas péssimo pra lhe dar com pessoas, sendo que pode até não ser por má vontade essas atitudes.

7 Desinformado
Geralmente nos deparaos com atendentes assim, que estão mal preparados. Não é tão dificil contornar a situação. pois informação com o tempo se apende.

Conclusão:
tenha em mente que o atendimento é uma das etapas mais importante das vendas, então dê 100% de atenção neste aspecto para sua empresa.

Learn more
 

Contact Us


WE ARE ACCEPTING NEW PROJECTS.

YOUR COMPANY
5th Avenue Madson
Springfield, NY758, USA
966 598765432
012 5234567